A Flor Oculta

5,00 

Autor: Pearl S. Buck
Editora: Livros do Brasil
Ano de edição: –
Nº de páginas: 284
Idioma: Português
Coleção: Colecção Dois Mundos nº 62
Especificações: Assinatura de posse.
Livro de Bolso: não
Encadernação: capa mole
Estado: 3/5



Método de Pagamento Método de Pagamento Método de Pagamento Método de Pagamento

Descrição

A Flor Oculta

A Flor Oculta é uma bela e pungente história de amor, cujos protagonistas – uma japonesa e um americano – vivem um drama intenso e doloroso. Mas, das ruínas do amor aniquilado pelos preconceitos, brota a ‘flor oculta’, o pequeno Lennie, que vai encontrar, à sua volta, a dádiva generosa da mais profunda simpatia humana.

Biografia
Pearl Sydenstricker Buck (26 de Junho de 1892 – 6 de Março de 1973) foi uma escritor e romancista americana. É mais conhecida por A Boa Terra um romance mais vendido nos Estados Unidos em 1931 e 1932 e ganhou o Prémio Pulitzer em 1932. Em 1938, Buck ganhou o Prémio Nobel da Literatura ‘pela sua rica e verdadeiramente épica descrição da vida camponesa na China’ e pelas suas ‘obras-primas’, duas memórias-biografias dos seus pais missionários. Foi a primeira mulher americana a ganhar esse prémio.

Buck nasceu na Virgínia Ocidental, mas em Outubro de 1892, os seus pais levaram o seu bebé de 4 meses para a China. Como filha de missionários e mais tarde como missionária, Buck passou a maior parte da sua vida antes de 1934 em Zhenjiang, com os seus pais, e em Nanjing, com o seu primeiro marido. Ela e os seus pais passaram os seus verões numa villa em Kuling, Mountain Lu, Jiujiang, e foi durante esta peregrinação anual que a jovem decidiu tornar-se escritora. Ela formou-se no Randolph-Macon Woman’s College em Lynchburg, Virgínia, e regressou depois à China. De 1914 a 1932, depois de se casar com John Lossing Buck, ela serviu como missionária presbiteriana, mas veio a duvidar da necessidade de missões estrangeiras. As suas opiniões tornaram-se controversas durante a controvérsia fundamentalista-modernista, levando à sua demissão. Após regressar aos Estados Unidos em 1935, casou-se com o editor Richard J. Walsh e continuou a escrever de forma proliferativa. Tornou-se activista e defensora proeminente dos direitos das mulheres e da igualdade racial, e escreveu amplamente sobre as culturas chinesa e asiática, tornando-se particularmente conhecida pelos seus esforços em prol da adopção asiática e mestiça.

Contacte-nos aqui
Siga-nos: Facebook / Instagram